complexogel

O COMPLEXOGEL é um blog que integra o emocional, o mental, o intelectual e todas as formas do conhecimento, numa verdadeira salada de idéias

domingo, agosto 28, 2005

GOVERNO, QUE GOVERNO?

O presidente está fora de controle, em processo acelerado de degeneração. O PT vive a expectativa de fechar as portas: O grande propinoduto nacional passa por ele. O PT por ética e pela moralidade deve ser extinto, a fim de mostrar ao povo, que é, o que defende.
O PT começou a morrer, quando caiu nas garras intransigentes dos falsos moralistas de suas fileiras. O Próprio presidente foi congelado, enquanto os petistas caem mortos de vergonha de si mesmos. O povo foi devorado, foi excluído ainda mais, eternizando sua miséria. Só está faltando, o presidente cair e o congresso ser 100% renovado. Somente assim elevaríamos o futuro de nossa nação.
À medida que a senvergonisse pública se expande, o povo é diluído na miséria, suas expectativas de melhorar o padrão de suas vidas terminam no zero absoluto, onde até mesmo sua tênue esperança se perde. É o caos total. A ética se oxidou, a moral se perdeu, a mentalidade coletiva da população desabou, e a nação se esgotou sob o comando ganancioso do totalitarismo. Os brasileiros estão sem-teto, em farrapos, espremido pela alta carga tributária nacional, tateando através de uma esperança minguante. Os corruptos espertos estão fazendo bacanal nos hotéis de luxo, desperdiçando o suor do povo.
O estado de corrupção interminável que estamos vivenciando, onde a corrupção-pai gera a corrupção-bebê num ciclo contínuo e interminável, como bolhas de sabão que se dividem em duas bolhas menores, não vai ter fim? O que provocou essa senvergonisse nacional que deu início a essa roubalheira desenfreada?
No Brasil, o povo e o governo são opostos. O povo vive de promessas de melhoria, na miséria, sem educação, cultura, saúde, previdência, não tendo direito ao seu direito.Sua grande função é pagar imposto, que o próprio nome já diz é imposto e não consensual como deveria ser.
O governo vive na pujança, na ilusão que o poder é seu, traindo as consciências dos que os elegeram. O executivo e o legislativo usam o poder que lhes foi delegado em interesse próprio, para enriquecer.
Os políticos da atualidade partem do pressuposto que o povo não é consciente de si e de sua condição como cidadão. Por isso, o presidente sente-se dono do Brasil, pai do povo, e que, portanto não pode ser questionado. O presidente vive sua vida, desconhecendo a existência do povo. De vez em quando, porem, ele precisa das massas, daí então estas duas entidades antagônicas se encontram. Nesse momento, um mente para o outro e a senvergonisse continua.


Autor: Gelmirez Freitas.
e-mail: terragel@hotmail.com

1 Comments:

Postar um comentário

<< Home